1812 – Cria o primeiro Curso de Agricultura na Bahia. Inicialmente no jardim Botânico tendo o Professor Domingos Borges de Barros ministrado os estudos de botânica e agricultura no Curso de Filosofia.

1877 – Primeira divisão de níveis educacionais, elementar (operários e regentes) superior (veterinários,agrônomos e engenheiros).

1890 – Primeira grande reforma no ensino promovida por Benjamin Constant.

1909 – O governo de Nilo Peçanha através do Decreto nº 7.566, de 23 de setembro de 1909 criou a rede nacional de de formação de profissionais de nível técnico no Brasil.

1910 – No governo de Nilo Peçanha regula-se o ensino agrícola em todos os níveis e modalidades.

1939 – Marco Referencial Inicial do Movimento dos Técnicos Agrícolas: ETA – Escola Técnica de Viamão/RS.

25/11/1941 – Associação dos Técnicos Rurais do Rio Grande do Sul – Leonel de Moura Brizola. Ingresso na universidade.

1946 – Decreto Lei 8.620/46 – Art. 18 e 19 impõe registro dos técnicos nos CREA’s.
– Lei Orgânica do Ensino Agrícola. Iniciação agrícola (operário agrícola), Escolas Agrícolas (mestre agrícola), Escolas Agrotécnicas (técnico Agrícola), Cursos de Aperfeiçoamento para Técnicos e instituição do ensino agrícola feminino.

1961 – Lei nº 4024/61 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional que instituiu os níveis primário, secundário e superior. Os cursos industrial, agrícola e comercial em três séries do 2º grau mais estágio prático para o título de Técnico.

1966 – Lei nº 5.194/66 que regula o exercício profissional do engenheiro, arquiteto e agrônomo e dá poderes ao CONFEA regulamentar através de Resoluções.

14/07/68 – Ministro da Educação e Cultura Dr. Tarso Dutra encaminha minuta de Projeto de Lei em regulamentando a profissão de Técnico Industrial e cria o Conselho.

05/11/68 – Lei Federal 5.524/68 , cria a profissão dos Técnicos Industriais e Agrícolas, e retira do CONFEA o poder de regulamentar nossas atribuições, transferindo-o para o Presidente do Brasil.

1971 – Lei nº 5692/71 – Lei de Diretrizes e Bases para o ensino de 1º e 2º grau e institui compulsoriamente o ensino profissionalizante.

1973 – CONFEA edita Resolução nº 218 que ilegalmente tenta regulamentar nossas atribuições por Resolução.

1979/1980 – Debates sobre a regulamentação da Lei 5.524068.

06/02/1985 – Decreto Federal 90.922/85, regulamentou as atribuições dos Técnicos Industriais e Agrícolas.

26/06/1987 – Decisão do Supremo Tribunal Federal pela constitucionalidade do Decreto nº 90.922/85.

1996 – Lei nº 9.394/96 – Nova Lei de Diretrizes e Bases para a Educação Nacional com capítulo especial para o ensino profissional.

1999 – Edição do Parecer nº 16 e Resolução nº 04/99 do CNE.

30/12/2002 – Decreto Federal 4.560/2002, altera o Decreto Federal 90922/85.

2003 – CONFAEAB ajuíza ação de inconstitucionalidade contra o Decreto Federal nº 4.560/2002.
Em 2005 o Supremo Tribunal Federal não acolheu Ação de Inconstitucionalidade do Decreto Federal n°4.560/2002, validando as atribuições dos Técnicos Agrícolas na sua plenitude.

2005 – Senador Augusto Botelho protocola Projeto de Decreto Legislativo n° 190/2005, que pretende sustar os efeitos do Decreto n° 4.560/2002.
– Fundação da Associação dos Técnicos Agrícolas do Brasil – ATABRASIL.

2009 – Lei nº 11.940, de 2009, estabelece o dia 23 de setembro como Dia Nacional dos Profissionais de Nível Técnico e declara o ano de 2009 como Ano da Educação Profissional e Tecnológica no Brasil.

Fechar Menu